Banner

Universidade premia vencedores do V Prêmio de Literatura Unifor

un238-premio-unifor-literaturaCom o objetivo de valorizar a literatura e divulgar obras literárias inéditas, a Universidade de Fortaleza criou um dos mais reconhecidos prêmios de literatura do Ceará. O Prêmio de Literatura Unifor, que este ano chegou à V edição, cada vez mais vem se configura como espaço de estreia para jovens talentos na área literária em nosso país. A cerimônia de entrega foi realizada no dia 11 de abril e teve como palco o auditório da Biblioteca da Unifor.

As atenções da noite foram voltadas para a Obra Inédita vencedora, o livro Orates (Contos Clínicos), do mineiro Musso Greco. Ele foi premiado com uma viagem à Washington DC, nos Estados Unidos, para visitar a Biblioteca Nacional do Congresso Americano, além de ter o livro publicado. Na categoria de Trabalhos Inéditos, 20 autores foram premiados. O primeiro colocado ganhou uma viagem ao Rio de Janeiro, para conhecer a Biblioteca Nacional, além de ter seu conto publicado em uma coletânea, juntamente com os classificados até o 20º lugar, que também foram agraciados com a publicação do seu conto na coletânea.

Durante a cerimônia, que contou com a apresentação da Camerata da Unifor, o vice-reitor de Ensido de Graduação da Universidade, prof. Henrique Sá, destacou a participação dos autores e ressaltou a importância da literatura. “É um privilégio acolher e receber tantos autores e tantos escritores, que nos abrilhantaram com suas contribuições no concurso. Precisamos reforçar a importância da literatura, do livro e do autor. Indubitavelmente, estamos em um tempo em que esses três elementos, tão singelos, mas ao mesmo tempo tão poderosos na construção de uma cultura e de uma sociedade, muitas vezes se misturam e se diluem no meio de tantas mídias, tantas plataformas e, muitas vezes, nos cabe apurar os sentidos para que possamos efetivamente apreciar a verdadeira obra literária”.

Segundo o coordenador do Prêmio e professor da Unifor, Batista de Lima, a coletânea de contos foi o resultado final da seleção feita entre centenas de concorrentes ao V Prêmio de Literatura Unifor. Concorreram escritores da mais variadas localidades. “A importância desse prêmio é que ele abre um espaço para aquelas pessoas que estão querendo publicar, que têm dificuldade de divulgação. Detalhe que deve ser ressaltado é que o prêmio instiga o turismo cultural. Não é um prêmio em dinheiro, é um prêmio cultural. Além disso, ter o conto ou o livro publicado pela Unifor tem bastante valor, porque você vai ter respaldo para publicar outro livro”, afirma o professor.

De acordo com a coordenadora da Revista de Humanidades da Unifor e jurada do Prêmio, Aíla Sampaio, a Unifor é uma das universidades brasileiras que mais valoriza as artes e, haja visto o espaço que dedica a elas, a Literatura não poderia ficar de fora. “Penso que essa competição só tem a acrescentar à literatura cearense, à literatura brasileira. A qualidade do material é muito boa, inclusive tivemos dificuldade na escolha da obra e na escolha dos textos avulsos, já que foram cerca de 400 contos. Contando com um corpo de jurados do mais alto gabarito, a comissão de seleção reuniu Fernanda Coutinho, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Sânzio Azevedo, da Academia Cearense de Letras (ACL) e Aíla Sampaio (Unifor).

“Eu vejo com muita simpatia e participo desse prêmio com muita honra, ao lado do meu colega da Academia Cearense de Letras, Batista de Lima, da minha mulher, Fernanda Coutinho, e da minha ex-aluna, Aíla Sampaio. O prêmio é para o Brasil todo, já tivemos um paulista que ganhou, esse ano foi um mineiro, que fez por merecer a competição literária”, afirma Sânzio Azevedo.

“Uma universidade como a nossa tem a obrigação de valorizar, reconhecer, apontar, identificar talento. A Fundação Edson Queiroz, que há 41 anos promove a arte, a cultura e o conhecimento a partir das suas atividades educacionais, artísticas, esportistas, culturais, com o prêmio, enfatiza esse compromisso e ressalta o valor daqueles que aqui acolhem e que se colocam no sentido de trazer a sua produção, seja na poesia, este ano no conto” finaiza o professor Henrique Sá.

Categoria Obra Inédita
O autor da obra vencedora, Musso Greco, é psicanalista e escritor. Ficou sabendo do concurso pela internet e resolveu participar para ver se as coisas que eu escrevia era literatura. “Eu tinha uma expectativa de experimentar para ver se aquilo era literatura. O Prêmio funcionou como um credenciamento para o campo da literatura, é uma autorização. Esse prêmio significa que a minhas gavetas vão se esvaziar”.

“Meu livro é um pouco da minha experiência com a loucura, minha experiência profissional. Há 30 anos trabalho com psiquiatria e psicanálise, mas quando a gente encontra a loucura, não fica restrito à ciência, tem sempre alguma coisa que escapa, alguma coisa de sensibilidade, de poesia, que não cabe no discurso profissional. Orates quer dizer louco. Vem do catalão, mas esse termo aparece em O Alienista, de Machado de Assis. Orates quer dizer doido, então o livro é sobre os meus doidos e a minha loucura”, finaliza o autor.

 

Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 238

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados