Banner

Pibic Ensino Médio: Estimulando a pesquisa nas escolas

un236-42A Universidade de Fortaleza reconhece que o interesse pela pesquisa científica deve ser despertado desde cedo. Por isso apoia a realização de eventos que insiram os jovens no universo da pesquisa. Exemplo disso foi a promoção, durante a última edição do Mundo Unifor, dos Encontros de Iniciação Científica Júnior, que deram oportunidade a alunos de ensino médio de apresentar trabalhos de pesquisa para a comunidade acadêmica.

Através da parceria entre Unifor e Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por ano são concedidas 200 bolsas, distribuídas entre 29 escolas de Ensino Médio de Fortaleza, através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o Ensino Médio (Pibic-EM), do Governo Federal. O projeto estimula o desenvolvimento de pesquisas em diversas áreas no âmbito escolar e conta com o envolvimento de 15 professores orientadores da Unifor que atuam diretamente com os bolsistas, que por um ano recebem um auxílio de R$100.

Os resultados são animadores. O projeto Jovens Mediadores: Construindo Pontes de Diálogos, por exemplo, comprova que o incentivo dado aos jovens alunos logo transforma-se em resultados legítimos. O projeto, realizado pelos alunos da Escola de Ensino Médio Governador Adauto Bezerra, Halbert Morais, Camila Sarah Pereira e Joyce Sousa, orientado pela professora do curso de extensão universitária em Arbitragem e Mediação da Unifor, Ana Karine Pessoa, foi aceito no Fórum Mundial de Educação 2014 (FME), evento internacional que promove discussões sobre os rumos da educação no mundo. Halbert, Camila e Joyce enviaram para o FME, que aconteceu de 21 a 23 de janeiro, em Canoas, no Rio Grande do Sul, trabalho que teve como foco a mediação de conflitos e foi apresentado primeiramente no Encontro de Iniciação Científica Júnior do Mundo Unifor, em 2013.

Buscando responder como a mediação pode resgatar a cidadania no cotidiano escolar, o artigo apresentado pelos alunos preocupa-se em compreender e discutir as relações entre mediação de conflitos e cidadania, no que se refere às possibilidades de praticar as técnicas de mediação no âmbito escolar. A equipe realizou a pesquisa por meio de observação participante na escola onde estudam e pesquisa bibliográfica.

Para a profa. Ana Karine Pessoa, “o impacto social da pesquisa é visível e instiga os jovens a ampliar a sua visão de mundo, pois além de proporcionar a troca de saberes, agrega novos conhecimentos e valores a todos os envolvidos. O trabalho fez com que os alunos se vissem inseridos no meio universitário e isso foi um estímulo para que eles pudessem ter coragem e determinação para realizar o estudo”, acredita.

Para a professora da Escola Adauto Bezerra, Francijane Oliveira Chaves, a parceria entre escola e Unifor veio para amenizar a carência que a rede pública tem de profissionais que ajudem na mediação. A docente também constatou que o projeto representou significativas melhorias no cotidiano escolar. “Vi que os meninos amadureceram bastante. Começaram a questionar em grupo os problemas da escola, a querer melhorar a comunicação entre os colegas na hora do intervalo. Foi graças ao envolvimento com o projeto que os três melhoraram o desempenho escolar e foram aprovados em diferentes vestibulares”, apontou.

“O Pibic Ensino Médio é de extrema importância, pois a parceria com as universidades possibilitam a inserção dos alunos do ensino médio no universo acadêmico através da pesquisa. Os jovens tem a oportunidade de apresentar projetos orientados por professores da Universidade nos encontros científicos promovidos. Queremos que os alunos passem por essa experiência e tenham uma visão mais ampla do que eles podem fazer no futuro. Os universitários também ganham, por poder manter contato com pessoas de uma realidade social diferente. E para a Unifor é um grande passo na perspectiva da responsabilidade social”, pontua a chefe da Divisão de Pesquisa da Unifor, profa. Mônica Vasconcelos.

DEPOIMENTOS
un236-43“Focamos o trabalho na nossa escola, a Governador Adauto Bezerra. Observamos o comportamento as práticas de bullying, agressões das pessoas na escola e até mesmo no ambiente familiar. Mostramos que as situações podem ser resolvidas sem que a violência esteja presente. A pesquisa foi importante, pois agora tenho um pensamento mais construído sobre a mediação de um conflito. Sempre que vejo alguma briga procuro fazer com que as pessoas vejam que a situação não é tão ruim quanto pensam. Fiquei surpresa por nosso trabalho ter sido aceito no Encontro de Iniciação Científica Júnior do Mundo Unifor e no Fórum Mundial de Educação, pois a concorrência é grande. Minha família ficou muito alegre”.
Joyce Sousa Nascimento, bolsista do Pibic-EM

un236-44“A experiência de participar do Mundo Unifor foi muito gratificante, pois além de poder apresentar o que nós aprendemos houve um intercâmbio de saberes entre nós e os demais grupos que apresentaram seus trabalhos. Através das pesquisas que realizamos, conhecemos como um mediador atua e o quanto ele é importante na sociedade. Agradeço a oportunidade de participar desse fabuloso trabalho e relatar que as experiências que adquiri foram muito proveitosas”.
Camila Sarah Pereira de Melo, bolsista do Pibic-EM

un236-45“O trabalho desenvolvido foi extremamente satisfatório. Graças ao projeto pudemos explorar o mundo de várias formas diferentes e isso nos incentiva a lutar pelo aperfeiçoamento do sistema educacional e nos concede experiências e valores inesquecíveis. Eu e minhas companheiras pudemos mostrar que no Ensino Médio há projetos que buscam a preparação de um cidadão que entre no espaço universitário e seja propagador da cultura da paz e inclusão social”.
Francisco Halbert Morais Lima, bolsista do Pibic-EM

 




Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 236

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados