Banner

PAP Unifor: apoio para necessidades educacionais específicas

O Programa de Apoio Psicopedagógico (PAP) orienta e acompanha alunos em dificuldades físicas ou emocionais, promovendo sua inclusão no ambiente universitário.

Karine Saldanha é surda, mas isso não a impediu de concretizar o desejo de cursar uma universidade. Depois de anos estudando sem nunca ter contado com os serviços de um intérprete, em 2008 passou no vestibular para o curso de Fisioterapia da Unifor. Aqui Karine encontrou o apoio necessário para compreender as aulas. Através do Programa de Apoio Psicopedagógico (PAP), ela teve disponíveis intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Ligada à Vice-Reitoria de Ensino de Graduação, o PAP é o setor da Universidade responsável pela orientação e acompanhamento de alunos da graduação e pós-graduação em dificuldades emocionais, relacionais, vocacionais, motoras, visuais, auditivas, entre outras. Implantado em 2005, atende de forma ampla às demandas de acessibilidade de alunos com necessidades educacionais específicas, contribuindo para sua inclusão no ambiente universitário. “Apesar de o nome ser apoio psicopedagógico, oferecemos um serviço mais amplo. Buscamos conectar o aluno ao que ele necessita para sentir-se incluído na Universidade. Acompanhamos todo o processo de sua formação acadêmica, através de uma equipe formada por intérpretes, psicólogos, entre outros profissionais”, explica a coordenadora do programa, profa. Terezinha Joca.

A orientação do PAP é compartilhada, ou seja, voltada tanto para alunos quanto para professores. Estes últimos são orientados a como facilitar o ac234_papesso e a promoção da aprendizagem dos alunos a partir da identificação e análise do tipo e intensidade da ajuda que eles necessitam. No caso de alunos surdos, por exemplo, são disponibilizados intérpretes em todas as aulas e eventos acadêmicos. “Temos seis intérpretes contratados pela Universidade que se revezam nos três turnos”, aponta a profa. Terezinha. “Já no caso de deficientes visuais, utilizamos livros em braile, fazemos adaptação de provas e provas orais com ledores”.

Apesar de alunos com deficiência constituírem uma boa parcela dos atendimentos do PAP, 60% dos que buscam ajuda o fazem em função de problemas emocionais. “Oferecemos um plantão psicoeducativo em que estudantes do último semestre de Psicologia atendem aqueles com dificuldades emocionais. Alguns possuem depressão, síndrome do pânico, dificuldades de aprendizado. Oferecemos o apoio necessário para que não desistam dos estudos. Nesses casos, depois de uma avaliação, os alunos são encaminhados para o Nami [Núcleo de Atenção Médica Integrada] ou para atendimento junto a um médico de sua confiança para que prossigam com o tratamento, caso haja necessidade. Às vezes esses problemas são passageiros”, acrescenta.

CONQUISTA COMPARTILHADA
Formada no semestre passado, a agora fisioterapeuta Karine Saldanha reconhece o apoio do PAP como fundamental em sua vitória. “A Unifor com certeza me apoiou muito. O PAP é um dos setores mais importantes da Universidade. Tenho muito a agradecer, pois só consegui progredir por conta desse incentivo. Os intérpretes foram importantíssimos para que eu pudesse entender o conteúdo”.

Orientanda da professora Cristhina Brasil, Karine defendeu a monografia “A formação do fisioterapeuta surdo e possibilidades de exercício profissional – relato de experiência”. “Escolhi esse tema por me sentir muito preocupada com a comunidade surda. Com esse trabalho, mostrei que existem formas de comunicar e de formar profissionais deficientes auditivos na área da saúde. É uma referência para que o surdo estudante da área da saúde ou alguém que vá ter contato com um profissional surdo da área saiba que é possível o atendimento”.

“O trabalho da Karine é digno de ser apresentado em congressos de Fisioterapia e de Educação. Na Fisioterapia, há muito comando verbal, e ela substituiu por outras coisas, criou estratégias de se comunicar e de realizar esses comandos. É um trabalho inédito. Foi uma experiência fantástica ter orientado a Karine, ver o progresso dela, assim como ver o trabalho dos intérpretes da Universidade, que não só traduzem Libras como funcionam como verdadeiros motivadores”, ressalta a profa. Cristhina.

Programa de Apoio Psicopedagógico (PAP)
Bloco N – Sala 12
Funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h30 às 18h
Tel.: 3477 3399


Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 234

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados