Banner

Unifor faz projeto de revitalização para Nova Jaguaribara

Professores e alunos de diferentes áreas do conhecimento da Universidade vão trabalhar juntos em projeto de revitalização do município de Nova Jaguaribara.

232_jaguaribaraProporcionar aos moradores uma melhor qualidade de vida e alavancar a economia local através da reurbanização da área no entorno do açude Castanhão. Esses são os principais objetivos do projeto de requalificação do município de Nova Jaguaribara que a Universidade de Fortaleza vai executar em parceria com a prefeitura local.

Professores e alunos dos cursos de Engenharia Ambiental e Sanitária, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Turismo e Hotelaria irão trabalhar juntos para elaborar e desenvolver as ações. A proposta trará sugestões de revitalização das áreas de lazer da cidade, estratégias para movimentar o turismo, além de atividades de promoção à saúde aos moradores da cidade. A iniciativa tem o investimento da ordem de R$ 2 milhões do governo do estado.

Segundo o supervisor do projeto e assessor da Vice-Reitoria de Graduação, professor Euler Muniz, a ideia é criar uma estrutura urbana funcional para atender moradores e turistas da região. “Essa área que vamos tratar é utilizada pela população para o lazer, porém um lazer sem planejamento. Observamos uma grande quantidade de lixo e desmate no entorno. O projeto vai abordar a questão do impacto ao meio ambiente e ações para diminuir esse impacto. Estamos elaborando um projeto urbanístico que atenda a população, gerando lazer e renda para o município”.

O prefeito de Nova Jaguaribara, Francisco Guedes, acredita que a parceria com a Universidade renderá bons resultados. “É um orgulho elaborar esse projeto com a Unifor. Jaguaribara é um município que ajudou muitos cearenses durante a falta d’água e perdeu sua história e suas raízes para que fosse construída a barragem do Castanhão para abastecer Fortaleza. Queremos fazer parte dessa história com boas mudanças para a população. Esse projeto vai gerar aumento da renda e melhorias consideráveis na saúde e educação da população.”

O primeiro passo será dado neste mês, quando o projeto será apresentado ao governo do estado para aprovação. O primeiro local a ser revitalizado será a praça em frente ao Colégio Humberto de Alencar Castelo Branco. As despesas com a requalificação da praça serão de responsabilidade do Grupo Edson Queiroz.

HISTÓRIA

232_jaguaribara2

A desapropriação e a retirada dos moradores para a inundação da antiga Jaguaribara devido às obras do açude Castanhão aconteceram de forma gradativa, num período de sete anos. Houve resistência por parte da população em razão da indefinição sobre as condições sociais e econômicas em que se dariam os reassentamentos. Para a construção da Nova Jaguaribara, inaugurada em setembro de 2001, o governo do estado investiu 70 milhões no projeto de construção. A cidade é o primeiro município cearense com estrutura planejada com capacidade para 60 mil moradores, embora hoje possua 10 mil habitantes.

O projeto da nova cidade procurou preservar as características da antiga Jaguaribara, com a construção da réplica da Igreja Matriz e da Igreja do Poço Comprido. As quadras foram elaboradas para que os moradores não perdessem seus vizinhos. Até mesmo o cemitério foi transferido com a devida exumação de todos os corpos.


DEPOIMENTO
“Na época da mudança, eu não vim logo. Meu marido e eu ficamos na nossa propriedade até dezembro de 2001, quando muita gente já tinha ido embora. Mas na véspera do Natal tive uma crise de depressão. Eu vivia com medo dos ladrões que começaram a aparecer roubando o que ficou da cidade antiga. Hoje posso dizer que a mudança foi muito boa. Parei o trabalho pesado e foi um sossego tanto para mim quanto para meu marido. Mesmo assim, não é como nossa terra, sabe?”
Dona Odar Monteiro (foto), moradora da cidade, fazia parte de um grupo de resistência à mudança.

 

Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 232

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados