Banner

Os quarenta anos da Unifor

por Batista de Lima*

228_uniforaereaA Universidade de Fortaleza teve sua pedra angular plantada em meio ao verde de extensa área florestal, de denso arvoredo, pontilhado aqui e ali pelo espelho d’água de muitas lagoas, em um bairro dantes conhecido como Água Fria, atualmente denominado Edson Queiroz, em homenagem ao pioneiro da educação superior privada no estado do Ceará. A avenida, ao pé da qual se instalou, recebeu o nome de Washington Soares, corajoso empreendedor cearense que, em 1925, comprou a fazenda Água Fria, alojando, na propriedade, 120 famílias de retirantes, migrantes da seca de 1932. Desse acampamento de trabalhadores rurais surgiu o primeiro povoamento da região, que, à época, estendia-se por entre vergéis, cedros, cajueiros, chichás, toréns, carnaúbas, mangueiras, ipês, mangues e salinas.

Foi precisamente em terras desta bucólica Pindorama Nordestina, um paraíso perdido, que o sonho de construir uma universidade particular, em Fortaleza, passou a ser a aspiração maior do industrial Edson Queiroz. Havia um represamento de jovens aspirantes a ingressar no ensino superior, e a Universidade de Fortaleza veio suprir essa demanda. Por isso, a 15 de abril de 1971, despontou a ideia-embrião da criação da Fundação Educacional Edson Queiroz, mantedora da Universidade de Fortaleza, assim nomeada, tendo como sigla Unifor, o que seria, pois, em primeira mão, uma instituição privada, tendo como característica uma filosofia de ação flexível e dinâmica.

Sob o sol escaldante de setembro, dia 17, do ano de 1971, foi lançada a pedra fundamental da Universidade de Fortaleza. O ato foi presidido por S. Exa., o então Governador do Estado do Ceará, Cel. Cesar Cals de Oliveira Filho. Contou o evento com a presença do presidente e dos membros do Conselho Curador e Diretor da Fundação Educacional Edson Queiroz, além de autoridades civis, militares e eclesiásticas, líderes do comércio e da indústria locais, representantes de associações de classe e órgãos sindicais, professores universitários, estudantes, intelectuais e jornalistas, bem como convidados especiais procedentes de São Paulo e do estado da Guanabara.

Edson Queiroz, na qualidade de presidente da fundação mantenedora da entidade, proferiu discurso abordando a significância do empreendimento e sua repercussão na vida cultural do Nordeste como um todo através da inestimável contribuição que a Universidade de Fortaleza proporcionaria à ampliação e aprimoramento do ensino superior no Ceará. Entretanto, foi a 21 de março de 1973, às 16 horas, que teve início a solenidade de inauguração da Unifor, criada e mantida pela Fundação Educacional Edson Queiroz. As mais destacadas autoridades, dos três poderes, prestigiaram o acontecimento, lado a lado com figuras exponenciais do empresariado e dos círculos educacionais cearenses e de outros estados. Entre os que se fizeram presentes, o então ministro da Educação e Cultura, Jarbas Gonçalves Passarinho, especialmente convidado para proferir, às 20 horas do mesmo dia, a aula inaugural dos cursos.

A bênção das instalações foi procedida por S. Exa. Reverendíssima Dom José de Medeiros Delgado, arcebispo metropolitano de Fortaleza. Celebrou-se, ali, convênio entre o Governo do Estado do Ceará e a Universidade de Fortaleza (Unifor) direcionado à construção do Centro de Convenções do Ceará, a ser construído em terreno doado por Edson Queiroz, circunvizinho à Universidade. Em tempo recorde, a Unifor realizou seu primeiro vestibular, com 2.007 candidatos inscritos, disputando 1.270 vagas para 17 diferentes cursos, de 17 a 23 de fevereiro de 1973.

Em 27 de dezembro de 1975, às 20 horas, engalanava-se o Centro de Convenções do Ceará para a solenidade da primeira Colação de Grau da Universidade de Fortaleza. Os concludentes pertenciam aos cursos de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, integrando a estrutura do Centro de Ciências da Saúde (CCS).

A partir daí, a Unifor tomou um impulso tanto na sua estrutura de superfície como na sua estrutura profunda, aliando o aconchego de um campus ecologicamente ajustado a uma qualidade de ensino que hoje a destaca nacionalmente. Com o falecimento de Edson Queiroz, assumiu a chancelaria da Instituição seu filho, Dr. Airton Queiroz, que transformou a Universidade em um celeiro de saberes, o que aumentou o interesse da comunidade cearense em ingressar nos seus cursos. Contando hoje com uma comunidade discente em torno de 25 mil estudantes, a Unifor, além da qualidade do ensino que ministra, tem desenvolvido atividades de extensão tão significativas que é visível a transformação que tem operado nas populações de seu entorno. A fauna e a flora do campus, o Teatro Celina Queiroz, as exposições de artes plásticas e outros atrativos culturais transformaram a Unifor no mais diversificado e atuante equipamento cultural do Ceará. Isso tudo em apenas 40 anos de existência.


* Batista de Lima é professor e chefe da Assessoria Linguística da Unifor. É mestre em Literatura e graduado em Letras e Pedagogia. Também é escritor e membro da Academia Cearense de Letras. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 228

 

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados