Banner

À procura de patrocínio

Aluno-atleta é promessa do triathlon nas Olimpíadas de 2016, mas busca patrocínio para participar das competições classificatórias que ocorrem no exterior.

 

218-aluno-atleta

O treinador de Wesley é de Brasília e
trabalha juntamente com um outro
de Portugal, 
“o melhor no ramo”,
garante o atleta.

Ele aproveitou uma oportunidade atrás da outra e foi conquistando prêmios, troféus, títulos, mas quer mais. Muito mais!

 

O triatleta Wesley Matos tem como objetivo principal competir nas Olimpíadas de 2016 e precisa de patrocínio para participar das seletivas que acontecem no exterior. São 18 ao total. Wesley, que também é aluno do curso de Educação Física da Unifor, é o atual campeão brasileiro na modalidade.

 

As competições classificatórias começam em junho. “Se conseguir patrocínio até lá, não tem perigo de ficar de fora novamente”, afirma Wesley, fazendo referência ao fato de não ter participado das seletivas para as Olimpíadas de 2012. “Em 2011, disputei os Jogos Mundiais Militares de Triathlon no Rio de Janeiro. Ganhei dos atletas que foram aos Jogos Pan-Americanos, mas não competi com eles lá porque estava fora das seletivas”, compara. Wesley estima que o patrocínio ideal seja da ordem de 10 mil reais mensais. Os custos envolvem passagens, taxas de transporte de bicicleta, alimentação e acomodação no exterior.

 

Para ele, o motivo principal da falta de patrocínio é o preconceito. Wesley é o único atleta profissional de triathlon do Nordeste. “O SBT quis marcar uma entrevista comigo na semana passada, mas quando soube que eu era cearense não retornou mais o contato. Isso já aconteceu várias e várias vezes. Por ter morado no Espírito Santo durante quatro anos, como atleta profissional do Centro Nacional de Treinamento de Triathlon, não sou tão conhecido aqui ainda. Tenho um dia superabarrotado. Queria só me preocupar em treinar”, desabafa.

 

Wesley treina cerca de nove horas por dia, inclusive domingos e feriados. “Os treinos são o meu trabalho. Eu me alimento para o esporte e durmo pensando nele. São muitos sacrifícios. Não é fácil, mas vale a pena”, afirma.

 

As perspectivas, garante ele, são as melhores. “Tenho 24 anos. Um atleta de triathlon atinge o auge aos 29, e estou nesse esporte há seis anos. A média dos atletas da seleção brasileira no esporte é de 15 anos. Mesmo assim, eu disputo de igual para igual com eles”.

 

Wesley iniciou a carreira na natação por causa de sua irmã, que foi atleta da modalidade. “Eu fui para a academia assistir aos treinos dela nas férias e pedi para o meu pai me matricular na escolinha. Eu tinha quase nove anos na época. Com um mês, fui convidado a fazer parte da turma de atletas da academia”, lembra. Ele conquistou vários títulos na natação, incluindo o de melhor atleta cearense por oito anos consecutivos, o tricampeonato e o recorde Norte-Nordeste de natação, antes de ser convidado a participar de competições nacionais de duathlon e, posteriormente, de triathlon.

 

Wesley Matos é campeão geral do Campeonato Brasileiro de Triathlon Olímpico 2011, campeão brasileiro Elite de Aquathlon 2011 e campeão do Sul-Americano de Triathlon Olímpico Sub-23 2011. Seu site (www.wesleymatos.com.br) lista as dezenas de prêmios já recebidos.

 

Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 218

 

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados