Banner

Caixa revolucionária

Aluno do mestrado em Informática Aplicada desenvolveu programa para solucionar a lotação de contêineres considerando o equilíbrio de seu peso.

216_pesquisauniforconteineresUma caixa simples de metal que revolucionou o transporte de cargas e, por consequência, os negócios entre regiões, países e continentes. O contêiner facilita e barateia o transporte de diferentes tipos de mercadorias por terra, pelo ar ou pela água. E a computação pode otimizar ainda mais seu potencial.

Foi com esse mote que o aluno do mestrado em Informática Aplicada da Universidade de Fortaleza Luís Jonatã Pires de Araújo desenvolveu seu projeto de pesquisa. A dissertação de Jonatã, defendida no final do semestre passado, teve como objetivo lotar o contêiner com menor desperdício, levando em conta a distribuição de peso de seus itens. “O programa computacional desenvolvido utiliza dados como tamanho do contêiner, relação dos itens a serem transportados e peso da mercadoria. Os benefícios são a otimização do espaço e o equilíbrio do peso. Pode-se, com isso, ainda evitar acidentes, como o tombamento de um caminhão ou de um navio por falta de equilíbrio de sua carga”, explica.

“A hybrid methodology to solve the container loading problem with weight distribution and cutting problems” é o título do seu trabalho. “Escrevi a dissertação em inglês para dar visibilidade à pesquisa. As referências de leitura na área são publicações em inglês. E era um desafio a mais. Eu aprendi muito”, comenta Jonatã.

METODOLOGIA
Para desenvolver sua pesquisa, o aluno utilizou uma metodologia híbrida na área da ciência da computação. “Usei a programação linear inteira, que é uma metodologia matemática da pesquisa operacional. E também fiz uso de algorítimos genéticos, que são uma metodologia da inteligência artificial”, explica Jonatã. “Locar um contêiner a três dimensões é extremamente desafiador. É um problema velho sob uma nova abordagem”, enfatiza o orientador, prof. Plácido Pinheiro.

216_pesquisauniforconteineres_alunoRESULTADOS
Segundo o professor, o trabalho de Jonatã promoveu um avanço científico na área e obteve resultados promissores. Jonatã comparou seu programa com um já utilizado no mercado, usando dados da empresa Esmaltec. “O programa deles, nos casos informados, conseguia em média uma otimização de 80,8% do contêiner, e o nosso uma de 93,6% – isso ainda considerando a distribuição de peso dos itens”, conta o acadêmico.

Jonatã realizou também um estudo de caso para uma empresa do ramo de granito. “Aplicamos o programa a duas dimensões e obtivemos resultados muito bons. Eles levavam em média uma semana para determinar o plano de corte para uma demanda específica com um desperdício da ordem de 18%. O programa executa em meia hora o cálculo e torna o desperdício da ordem de 8 a 10%”, comemora Plácido.

Jonatã trabalha na área de inteligência de negócios do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e recebeu bolsa de estudos da instituição no valor de 80% da mensalidade. Formado em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Ceará, ele afirma que quis estudar em outra instituição de ensino para “ampliar as visões de mundo”. “O próximo passo é tentar o doutorado, que vai dar oportunidade de avançar o sistema e abordar outros problemas na área”.


Leia a edição completa do Unifor Notícias Nº 216

 

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados