Banner

Entrevista | Edição 262 | Com a palavra, a fonoaudióloga, professora Lia Brasil Barroso

UN-262_12

Sobre a Entrevistada


Lia Brasil Barroso tem graduação em Fonoaudiologia pela Universidade de Fortaleza e mestrado em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de Fonoaudiologia, com ênfase em Linguagem e Motricidade Oral, atuando principalmente nos temas gagueira, linguagem oral, distúrbio de aprendizagem e distúrbio miofuncional orofacial.

 

O curso de Fonoaudiologia da Unifor é uma referência da área no Ceará. Fundado em 1984, formou grande parte dos profissionais que hoje atua no Estado. Este mês, vamos conhecer um pouco mais sobre o curso, conversando com a coordenadora, professora Lia Brasil Barroso. Na entrevista, ela conta para a gente sobre as diversas possibilidades de atuação do fonoaudiólogo, um profissional interdisciplinar cujo trabalho auxilia desde bebês até idosos. Diferenciais, empregabilidade e pesquisa também foram abordados durante a entrevista.

 

Confira! Sobre a Entrevistada - Lia Brasil Barroso tem graduação em Fonoaudiologia pela Universidade de Fortaleza e mestrado em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de Fonoaudiologia, com ênfase em Linguagem e Motricidade Oral, atuando principalmente nos temas gagueira, linguagem oral, distúrbio de aprendizagem e distúrbio miofuncional orofacial. Frase Destaque: “É crescente o reconhecimento da profissão. Nossos alunos têm 100% d empregabilidade ao se formarem, o que traduz a necessidade do mercado por fonoaudiólogos”.

 

Unifor Notícias: Muita gente não sabe bem o que faz um profissional da fonoaudiologia, mas este pode atuar em diversas áreas. Quais as principais?

 

O fonoaudiólogo atua nos cuidados com a comunicação humana e da deglutição, desenvolvendo cuidados de promoção da saúde, preventivos, de reabilitação e de aperfeiçoamento nas áreas da linguagem, aprendizagem, voz, motricidade orofacial (mastigação, deglutição, sucção, respiração, fala), audição, disfagia (dificuldade de deglutir), saúde coletiva, educacional, hospitalar, gerontologia. Desenvolve suas atividades em escolas, clínicas, hospitais, instituições de longa permanência – creches, asilos, industrias, teatro e TV, postos de saúde. São muitas as possibilidades.

 

Un: O auxílio à amamentação é uma das importantes áreas de atuação do fonoaudiólogo. Em que situações é importante haver um acompanhamento profissional?

 

O trabalho do fonoaudiólogo na amamentação tem por objetivo facilitar a sucção natural – no seio da mãe, favorecendo uma alimentação saudável, estimulando os músculos da face para um bom desempenho da mastigação, deglutição e da fala. Nos bebês prematuros internados em UTIs neonatais, com dificuldade em pegar o seio da mamãe, o fonoaudiólogo estimula a sucção utilizando técnicas específicas que favorecem a alimentação no seio, diminuindo o tempo de internação. Em crianças com má formações de face que apresentam dificuldades em se alimentar via oral, o fonoaudiólogo auxilia no estabelecimento da alimentação, orientando sobre os utensílios que podem ser utilizados, as posturas mais adequadas. Também auxiliamos crianças autistas, com síndrome de down, paralisia cerebral ou com problemas neurológicos que não conseguem ou têm dificuldade em sugar o seio da mamãe.

 

 

 

 

“É crescente o reconhecimento da profissão. Nossos alunos têm 100% de empregabilidade ao se for marem, o que traduz a necessidade do mercado por fonoaudiólogos"

 

 

 

 

 

 

UN-262_13

 

Un: Como profissional de fonoaudiologia pode auxiliar na sociabilização de crianças surdas ou com problemas de fala e leitura (dislexia)?

 

Em crianças surdas, o fonoaudiólogo realiza o atendimento direcionado à oralização e ao estabelecimento e aperfeiçoamento da fala favorecendo a comunicação e socialização com pessoas ouvintes ou não. Realiza estimulação da linguagem falada com crianças com implante coclear e usuários de prótese auditiva. O fonoaudiólogo também participa do diagnóstico precoce dos casos de surdez na infância, realizando o teste da orelhinha, além de exames auditivos específicos para a confirmação da perda auditiva. No caso da fala, o fonoaudiólogo é reponsável por promover a correção dos problemas articulatórios, possibilitando o entendimento da fala e a melhora na comunicação.

 

 

Também promove o uso da linguagem mais adequado, auxiliando a criança a construir frases, histórias e fazer relatos de modo correto utilizando o português. Nos casos de gagueira, promove uma melhor fluência da fala, reduzindo os bloqueios, repetições e as pausas que atrapalham a comunicação com o outro e a socialização na escola. Já nos casos de problemas de leitura e escrita, o profissional possibilita uma melhora no rendimento escolar facilitando o processo por meio de técnicas específicas direcionadas à aprendizagem, o que favorece a intergação da criança na escola e em seu ambiente familiar.

 

Un: A população idosa também é alvo do cuidado do fonoaudiólogo. Como ele pode auxiliar essa crescente parcela da população?

 

Na população idosa, o trabalho deste profisisonal está relacionado aos cuidados da saúde vocal, da condição alimentar, da linguagem e da audição. O idoso apresenta um perda na força muscular que pode prejudicar sua produção vocal, sua habilidade em mastigar alimentos mais duros e deglutir. Também perde sua percepção de ruídos em baixa intensidade. Diante disso, o fonoaudiólogo faz uso de técnicas, procedimentos e equipamentos que promovem uma melhor qualidade de vida. Também é comum encontrarmos quadros de demência e doenças degenerativas. Assim, o fonoaudiólogo auxilia na manutenção de uma alimentação pela boca, no uso de uma linguagem coerente aos interesses da pessoa, no trabalho de memória e atenção.

 

 

 

 

 

“Aqui possuímos uma metodologia de ensino que possibilita a vivência teórica e prática em todas as disciplinas do curso , com inserção do aluno desde o primeiro semestre nos locais de atuação do fonoaudiólogo . Todo o nosso corpo docente possui titulação de mestre ou doutor .”

 

 

 

 

UN-262_14

 

Un: Por ter uma formação interdisciplinar, o fonoaudiólogo tem contato com diversas áreas do conhecimento. Existe estímulo à pesquisa dentro do curso?

 

A pesquisa no curso está inserida em todos os semestres. Desde cedo o aluno é estimulado a desenvolver trabalhos nas disciplinas e levá-los a eventos científicos em nosso estado, país e internacionalemente. Nossos professores têm projetos de pesquisa com bolsas de estudo, além de projetos de extensão nos quais os alunos participam e, a partir destes, desenvolvem suas pesquisas.

 

 

 

Un: Como está o mercado de trabalho hoje para o fonoaudiólogo? Em que locais ele está apto a atuar?

 

O fonoaudiólogo pode atuar em locais como creches / escolas, hospitais / maternidades, clínicas, postos de saúde, asilos, indústrias, empresas de aparelho auditivo, teatro / TV / rádio, escola de música e artes, universidades. É crescente o reconhecimento da profissão tanto no sistema público como no privado. Concursos são comuns, ocorrendo no mínimo uma vez por ano tanto em nossa capital como nos municípios adjacentes a Fortaleza. Nossos alunos têm 100% de empregabilidade ao se formarem, o que traduz a necessidade do mercado por fonoaudiólogos.

 

Un: Quais os principais projetos desenvolvidos atualmente pelo curso de fonoaudiologia da Unifor?

 

O curso promove sistematicamente projetos que possam inserir o aluno no campo de atuação o mais precocemente possível, sempre sob a supervisão de um profisisonal qualificado. Temos o projeto Vivenciar a Clínica Fonoaudiológica, em que o aluno acompanha as práticas do curso na clínica escola, disponível para alunos desde o primeiro semestre. O projeto Fono-Odonto é uma ação integrada entre os cursos de Fonoaudiologia e Odontologia, desenvolvido na clínica escola da Odontologia e disponível para alunos a partir do 5º semestre. Nele, o aluno realiza avaliação fonoaudiológica em crianças, adultos e idosos com queixas desde a respiração pela boca, até usuários de prótese dentária. Já no Projeto Dislexia são realizadas avaliações e acompanhamento de pessoas com diagnóstico de dislexia. O projeto Clube da Transcrição permite que o aluno aprenda a avaliar a fala da criança aplicando testes específicos e a realizar uma análise dos sons da fala. No curso também temos o Cefono, empresa júnior formada por alunos e um professor supervisor que desenvolvem atividades como cursos de aprofundamento em temas específicos à profissão e realizam serviços em Fonaoudiologia.

 

Un: Qual o diferencial do curso da Unifor para o mercado?

 

Aqui possuímos uma metodologia de ensino que possibilita a vivência teórica e prática em todas as disciplinas do curso, com inserção do aluno desde o primeiro semestre nos locais de atuação do fonoaudiólogo. Nossa clínica escola conta com 16 salas de atendimento para terapia fonoaudiológica com softwares, jogos e materiais específicos, além de setor de audiologia com seis salas para exames contendo equipamentos modernos para a realização de toda a avaliação auditiva e vestibular. Todo o nosso corpo docente possui titulação de mestre ou doutor. Possuímos convênio com locais de prática que são referência no estado, como hospitais, escolas, indústrias, postos de saúde, TV / rádio. Existe ainda o estímulo à pesquisa, além de uma empresa júnior que estimula o empreendedorismo no aluno e sua independência.

 

Un: Existe um perfil para quem quer se tornar um fonoaudiólogo?

 

Acredito que qualquer pessoa possa se tornar um fonoaudiólogo. Temos uma característica enquanto seres humanos que é a de viver em sociedade e o fonoaudiólogo é o profissional que possibilita a comunicação efetiva entre os seres humanos. Você deve amar o outro e se sentir responsável por ele, assim você conseguirá desepenhar seu trabalho de modo gratificante tanto para você como para a pessoa que está acompanhando.

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados