Banner

Mestrados profissionais: uma nova realidade de formação

 O mestrado profissional reforça o perfil executivo contemporâneo aliado a contribuições teóricas. A Unifor oferece cinco cursos nessa modalidade.


un-260-foto30A cada ano, cerca de 1 milhão de alunos se formam em algum curso de graduação, segundo dados do Censo da Educação Superior do Inep. Em meio à concorrência de um mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo, destaca-se quem busca qualificação. A procura por profissionais mais capacitados faz dos cursos de pós-graduação um diferencial no currículo.

 

Novo no meio acadêmico e ainda não muito conhecido, o Mestrado Profissional foi criado apenas em 2009 pela Portaria Normativa de número 17 do MEC. Essa modalidade de pós-graduação tem como principal objetivo contribuir para uma ampla formação baseada no desenvolvimento de atividades e trabalhos técnico-científicos, valorizando a atuação prática aliada ao desenvolvimento tecnológico.

 

Segundo a vice-reitora de Pós-Graduação da Unifor, profa. Lilia Sales, através deste novo tipo de alternativa acadêmica “os alunos observam problemas reais e desenvolvem trabalhos que buscam soluções para instituições privadas ou públicas, seja um projeto baseado em políticas sociais ou modificando questões em indústrias.” A diferença entre o Mestrado Profissional e o tradicional Mestrado Acadêmico consiste na quebra da metodologia baseada prioritariamente nas contribuições teóricas. Enquanto no Mestrado Acadêmico há preparação para a continuidade de uma carreira baseada no possível Doutorado e contribuições de produção científica, o Mestrado Profissional reforça o perfil executivo contemporâneo, pautado na gestão de questões com teor social.

 

“O título de mestre obtido nos cursos de Mestrado Profissional, recomendados pela Capes e credenciados pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), tem validade nacional e concede ao seu detentor os mesmos direitos concedidos aos portadores de titulação nos cursos de mestrado acadêmico”, enfatiza Karla Maria Carneiro Rolim, coordenadora do Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem da Unifor.

 

As propostas dessa modalidade de ensino devem, portanto, apresentar uma estrutura curricular que enfatize a articulação entre conhecimento atualizado e aplicação direcionadas para estudos específicos. Para isso, uma parcela do quadro docente é constituída por profissionais reconhecidos em suas áreas de conhecimento por sua qualificação e atuação destacada em campo pertinente ao da proposta do curso.

 

“A qualidade do curso também está ligada à escolha de professores a partir de sua experiência e papel de transformação na nossa sociedade, trabalhado na perspectiva de partilhar e orientar os alunos”, destaca a vice-reitora Lilia Sales.

 

O pós-graduando que ingressa nesse tipo de extensão terá a oportunidade de imergir na pesquisa e explorar as vertentes vertentes que sua área venha a oferecer, mas não necessariamente terá como prerrogativa a continuidade da participação estendida para um curso de doutorado, o que também não o impede de fazê-lo.

 

“Tem-se identificado uma grande necessidade no mercado por profissionais que tenham a habilidade de liderar novos projetos ou executar ações de impacto. Os conhecimentos focados na resolução de impasses, os projetos e as atividades com forte teor prático certamente lhes darão essa competência”, relata o professor Afonso Carneiro Lima, coordenador do Mestrado Profissional em Administração da Unifor.

 

Para o prof. Gustavo Raposo Pereira Feitosa, coordenador do Mestrado Profissional em Direito e Gestão de Conflitos, “a função do mestrado profissional é aproveitar o conhecimento e a experiência acadêmica e científica da Universidade, juntar isso à experiência de profissionais bem estabelecidos no mercado e construir uma forma de aprimorar, valorizar e potencializar carreiras de profissionais que querem aprimorar suas habilidades e competências”.

 

Parcerias Internacionais

 

Os cursos de Mestrado profissional da Unifor contam com parcerias com instituições de ensino internacionais. Mestrado Profissional em Direito e Gestão de Conflitos, Odontologia, Administração de Empresas e Ciências da Cidade são parceiros da Universidade Columbia, em Nova Iorque. Já o Mestrado Profi ssional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem possui convênio com a Universidade de Rouen, na França.

 

Aplicação Prática


un-260-foto5

O direcionamento do mestrado à prática profissional é a característica que mais se destaca dentro da pós-graduação. “Algo que para um ambiente acadêmico talvez não tenha uma grande relevância, para o ambiente clínico é completamente relevante, porque supre uma necessidade que todo dentista que atua em consultório tem”, afirma o cirurgião-dentista Leonardo Pereira Garcia, 37 anos, aluno do Mestrado Profissional em Odontologia. “No mestrado profissional, o produto final do aluno deve impactar seu ambiente de trabalho”, explica a professora Karla. “O profissional começa o mestrado com um problema identificado na atuação prática e desenvolve um projeto durante o curso para resolver esse questionamento”.

 

Demanda Interestadual

 

Aika Maia é de Teresina, no Piauí, e aluna do Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem. Ela, assim como muitos outros alunos e candidatos dos cursos de pós-graduação, é uma profissional de fora do Ceará. De acordo com o professor Eduardo Diogo Gurgel Filho,coordenador do Mestrado Profissional em Odontologia, há pessoas de vários Estados do Norte e Nordeste não só cursando as pós-graduações da Unifor, como também interessados na Instituição.

 

un-260-foto1

“Só nos pré-inscritos, já temos pessoas do Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí, Amazonas, Pará”, lista o prof. Eduardo. Ele acredita que um dos diferenciais da Unifor que chama a atenção dos profissionais de outros Estados é a grande capacidade de pesquisa, disponibilizando todo o aparato acadêmico e tecnológico. “O MPO tem à sua disposição diversos núcleos e laboratórios da Universidade, além de ser o único mestrado profissional em Odontologia no Ceará”. Para a professora Karla Rolim, coordenadora do MPTIE, existe uma grande discrepância no número de programas de graduação entre as regiões Sul-Sudeste e Norte-Nordeste do Brasil. “Há uma necessidade muito grande de cursos de capacitação de profissionais enfermeiros na pós-graduação. Também existe a necessidade de melhor qualificação desses profissionais em nossos ambientes de saúde, em instituições hospitalares ou de atenção primária e secundária”, explica Karla.

 

 

 

 

DEPOIMENTO

 

Minha vida sempre foi lecionar e advogar. Com o passar dos anos, mesmo com a experiência rica do mercado, da sala de aula para o mercado, havia e há uma necessidade de interagir com a sociedade. Quando fui para o Tribunal de Justiça, senti essa necessidade mais aguçada. O mestrado profissional trabalha exatamente isso, a interação da academia no aspecto prático, influenciando e interagindo com o ambiente no qual você está, produzindo modificações e resultados. Como a minha área é empresarial, eu propus uma intervenção de mediação e conciliação entre credor e devedor. No lugar de deixar o poder judiciário escolher qual é a solução, a minha intervenção, que é normativa, propõe que se utilize a mediação para que credor e devedor possam encontrar uma solução entre eles mesmos, dentro do que a lei permite, para se chegar a uma paz social”.

 

Carlos Alberto Mendes Forte é aluno do Mestrado Profissional em Direito e Gestão de Conflito, desembargador do Tribunal de Justiça do Ceará e professor da disciplina de Direito Empresarial na Unifor.

 
Banner
Banner

Unifor Notícias | Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Estude na Unifor | Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados